sexta-feira, 29 de julho de 2016

Porto Alegre inaugura corredor de ônibus na Av. Bento Gonçalves

28/07/2016 - Zero Hora

Com a conclusão, toda a extensão da via está livre para o trânsito

O trânsito no trecho que ainda estava em obras do corredor de ônibus da Avenida Bento Gonçalves - entre as ruas Paulino Azurenha e Guedes da Luz - foi liberado na manhã desta quinta-feira. Depois de quatro anos, os trabalhos de pavimentação com placas de concreto, barreiras de proteção tipo New Jersey, sinalização e colocação de basalto no piso das estações de ônibus estão finalizados nos 680 metros que ainda estavam bloqueados. Com a conclusão, os sete quilômetros da via estão liberados para o tráfego.

As obras na avenida estavam previstas para terminar antes mesmo do início da Copa do Mundo de 2014, mas o faz e refaz de diversos trechos de concreto acabou atrasando o processo. Foi necessário substituir o asfalto para dar mais durabilidade ao piso para a passagem dos ônibus.

"Demorou muito! Eu acompanhei as obras, quando foi feito a primeira vez. Aí depois desmancharam tudo, fizeram tudo de novo", comenta a aposentada Haydée Spetino, 68 anos, que visita a irmã frequentemente em Viamão e pega o ônibus na Bento Gonçalves.

Segundo o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, todas as placas de concreto eram avaliadas e analisadas e várias delas tiveram que ser refeitas porque a mistura do material não foi a exigida na licitação.

De acordo com a EPTC, o trânsito ficará melhor para os passageiros de ônibus, pois as linhas de transporte coletivo não terão interferência junto ao tráfego de veículos particulares, como estava acontecendo durante as obras.

O trecho de 680 metros  foi liberado na manhã desta quinta-feira. Foto: Reprodução

Pelo corredor de ônibus circulam mais de 101 mil passageiros por dia, que utilizam 34 linhas urbanas, totalizando 2.250 viagens realizadas. No local, também trafegam linhas de ônibus metropolitanas.

O investimento para a troca de pavimentação em todo o trecho foi de R$ 14 milhões. O serviço foi executado pelo consórcio vencedor da licitação, formado pelas empresas Sultepa e Conpasul.