quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Futuro BRT na área do hipódromo

10/08/2013 - Zero Hora - Porto Alegre

O terminal do Cristal – que integra o conjunto de obras de duplicação da Avenida Tronco – irá receber ônibus rápidos dos sistemas BRT e das linhas que abastecem a Zona Sul. A estrutura será construída na esquina das avenidas Chuí e Icaraí, na área repassada à prefeitura pelo Jockey. Pelo cronograma da prefeitura, a obra deve ser concluída somente no segundo semestre de 2015.

– A estação terá uma importante função já que a Tronco ainda receberá um corredor de ônibus – afirma o coordenador técnico da secretaria de Gestão, Rogério Baú.

Como alternativa para realocar pequenos negócios que serão atingidos pela duplicação da Avenida Tronco, também está prevista a criação de um centro popular de compras dentro do terminal. O local deverá contar com 40 lojas.

Assim como outros projetos de mobilidade urbana da Capital, a duplicação da Tronco não é mais uma das obras para a Copa de 2014. O prefeito José Fortunati inseriu essa melhoria no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Área do Jockey Club dará lugar a estação do BRT

Dentro de dois meses, as primeiras mudanças do Jockey Club, em Porto Alegre, já devem tomar corpo. Ao menos, essa é a expectativa da administração da entidade: entregar os 2,2 hectares acordados com a prefeitura em troca de outra área na Avenida Diário de Notícias até a primeira quinzena de outubro.

O local dará lugar à futura estação do BRT (Bus Rapid Transit) da Avenida Tronco e, para isso, cavalos e cavaleiros saem de cena para entrarem as máquinas. Uma das principais mudanças é a redução das pistas de corrida. A externa passará de 1,9 mil para 1,75 mil metros, e a interna diminui de 1,85 mil para 1,6 mil metros.

- Quando a pista interna estiver concluída, passaremos por algumas adaptações, como o assentamento da areia. Depois disso, poderemos iniciar a segunda reforma. Assim, não é necessário interromper as corridas - explica o presidente do Jockey, José Vecchio Filho.

Será a primeira grande transformação dos páreos desde a inauguração, em 1959. Orçados em R$ 6 milhões, os trabalhos começaram há menos de um mês - mas não são as únicas mudanças previstas para os 55 hectares do Jockey. Até 2014, em parceria com o grupo NI, o clube ganhará um complexo esportivo e de lazer. Serão 16 canchas de futebol sete, duas quadras de futebol e um espaço para shows, além de estacionamento para 2,5 mil carros e um bar temático para apostas.

Inicialmente, a previsão era de que o serviço de revitalização começasse em agosto do ano passado. No entanto, conforme Vecchio, entraves junto à administração municipal atrasaram a largada nas obras:

- Os prédios do Jockey são tombados pelo patrimônio histórico, então, tudo que acontece em um raio de cem metros dos edifícios passa por uma tramitação diferente na prefeitura. Por isso, foi solicitada uma alteração na localização das quadras, o que obrigou o empreendedor a refazer o projeto.