terça-feira, 13 de março de 2012

Iniciam obras para sistema BRT em Porto Alegre

13/03/2012 - Jornal do Comércio, Clarisse de Freitas

Prefeito José Fortunati deu início às obras na avenida Protásio Alves, em Porto Alegre

O corredor de ônibus que integra o projeto de reformulação do transporte coletivo de Porto Alegre começou a tomar forma ontem, quando foram iniciadas as obras de instalação do sistema de ônibus rápido BRT (Bus Rapid Transit) na avenida Protásio Alves. Nessa primeira etapa, onde serão aplicados R$ 15,2 milhões, a cobertura asfáltica das duas pistas do corredor de ônibus será substituída por placas de concreto. O novo corredor é parte do legado para a infraestrutura da Copa de 2014. O investimento total no novo sistema será de R$ 55,8 milhões, dos quais R$ 53 milhões serão financiados pela Caixa e R$ 2,8 milhões serão dados em contrapartida pelo município.

A intervenção acontecerá ao longo de 6,8 quilômetros da via, no trecho entre a avenida Saturnino de Brito (zona Norte) e a rua Sarmento Leite (Centro). A fase inicial da obra de instalação do novo sistema de transporte coletivo, segundo detalhou a prefeitura da Capital, inclui fresagem, terraplenagem, a construção de uma sub-base de brita, de uma sub-base de concreto, da colocação de placas de concreto de cimento, meios fios de concreto e a sinalização viária. O projeto será executado pelo consórcio formado pelas empresas Sultepa e Conpasul, que venceu a licitação.

“O prazo para a conclusão, previsto em contrato, é de 18 meses. A execução começa junto à Saturnino de Brito e faremos trechos de 500 metros de cada vez. Quando terminamos um trecho, começamos outro, e assim vamos em direção ao centro”, detalhou o diretor de Obras da Sultepa, Marcos Ferreira. Ele explicou que as placas de concreto serão moldadas na via e que o concreto será preparado nas usinas que as empresas consorciadas possuem em Porto Alegre.

Assis Arantes Júnior, diretor técnico comercial da Conpasul estimou que cerca de 50 operários devem trabalhar diretamente na avenida Protásio Alves e que as empresas  também foram vencedoras da licitação do corredor da avenida Bento Gonçalves. “Tecnicamente essas obras estão dentro das nossas especialidades e não devem apresentar nenhum tipo de desafio que atrase a conclusão. Aguardamos a publicação do edital de licitação da obra da avenida João Pessoa para decidirmos se vamos concorrer ali também”, disse o executivo. A previsão da Secretaria de Obras é que todas as obras ligadas à instalação do BRT sejam começadas ainda no primeiro semestre de 2012.

Para o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, o início da construção é a materialização do trabalho empenhado para conquistar a Copa para Porto Alegre e a oportunidade de fazer obras que modernizarão a cidade. “A Copa já está acontecendo em Porto Alegre, com projetos como o BRT, que será uma transformação no transporte coletivo, com mais qualidade, segurança e agilidade na prestação desse serviço aos usuários”, afirmou.

Sustentabilidade nas estações é ponto forte do projeto BRT

Até o final desta semana será dada ordem de início às obras de substituição do asfalto por placas de concreto também na avenida Bento Gonçalves. Além das pistas com cobertura mais resistente, o BRT demandará a transformação dos pontos de ônibus em estações fechadas e climatizadas, que poderão ter 12 ou sete metros de comprimento e serão construídas em aço e vidro, a partir de módulos pré-fabricados acopláveis. Os veículos de piso baixo terão grande capacidade de transporte e terão baixas emissões de poluentes.

As estações projetadas contemplam os princípios de sustentabilidade, utilizando sistema de ar condicionado com ventilação natural e forçada. Estes mecanismos serão alterados conforme as condições climáticas, umidade e temperatura do ar, controlados por um sistema automatizado. A energia será gerada por painéis fotovoltaicos que compõe a cobertura das estações. Os vidros serão do tipo laminado temperado com película de proteção térmica e proteção contra raios ultravioleta.

O trânsito nos corredores será monitorado em tempo real e funcionará de forma coordenada com os semáforos, para reduzir o tempo das viagens. Na avenida Protásio Alves estão previstas 14 estações. Também deverá ser construído um terminal na avenida Manoel Elias.

O secretário municipal de mobilidade urbana e diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, afirmou que durante o período de obras serão feitos bloqueios localizados. Nos trechos em execução, os veículos das cerca de 150 linhas de transporte público que utilizam a avenida serão desviados para a faixa ao lado do corredor.